segunda-feira, 11 de abril de 2016

Greve na Educação Estadual/2016



Alunos do C.E Pref. Mendes de Moraes/Ocupa Mendes


Depois do refluxo vivido após as manifestações populares de junho de 2013, a derrota na greve histórica da rede municipal e da rede estadual sem nenhum avanço, veio uma greve de vanguarda unificada entre estado e município do RJ,em 2014, aonde a rede municipal saiu bastante arrasada com descontos e perseguições políticas, e a rede estadual com apenas 9% de reajuste e muitos processados administrativos. O ano de 2015 foi de pura letargia.
Na letargia de 2015, com assembleias super esvaziadas, o governo cresceu, não deu o reajuste sobre a inflação anual e ainda parcelou a segunda metade do 13° salário dos profissionais de todas as categorias dos serviços públicos estaduais. Começou a tal da crise, que atingiu em cheio a saúde com hospitais fechando por falta de insumos. Estava sendo desnudada a privatização da saúde, através das Organizações sociais(OSs). As empresas terceirizadas,sem receber repasse do governo, começam a não pagar os funcionários. A UERJ, os hospitais e as escolas estaduais perdem os funcionários de limpeza, porteiro e merendeiras.
Inicia o ano de 2016, muita revolta por parte dos trabalhadores, que viram numa inflação galopante, seus salários minguarem, e é neste contexto, que a assembleia de 20/2/2016, deflagra a greve da rede estadual de educação no dia 02 de março de 2016. Até aí, esperávamos uma greve igual, com enfrentamentos com o braço armado do estado e o descaso do governo para com a nossa agonia em sobreviver.
Eis que tudo muda em 28/03/2016, com a primeira escola estadual a ser ocupada pelos alunos: 

Ocupa Guanabara
















Ocupa Baltar



Ocupa Cairu
C.E. Prefeito Mendes de Moraes, na Ilha do Governador. A partir daí uma sucessão de ocupações tomam as escolas de todo estado do Rio de Janeiro. Desnudando toda sorte de descaso com a educação. A cada escola ocupada e administrada pelos alunos, vamos tomando conhecimento de material, livros, espaços como laboratórios e sala de informáticas sem uso, vamos conhecendo a raiz da tal crise na educação.
Hoje 11/04/2016 já estamos com 27 escolas ocupada, sendo que duas já privatizadas. A C.E. Chico Anysio, sob a tutela da Fundação Ayrton Senna e a C.E. Hispano Brasileiro João Cabral de Melo Neto, sob a tutela da embaixada espanhola. Essas duas escolas são as pérolas do reino, e com a ocupação virá a tona toda sorte de jogadas escusas no projeto de privatização da educação no Rio de Janeiro.

Ocupa Bacaxá- Faetec










Heitor Lira













Clóvis Monteiro
O secretário de educação, senhor Antonio Neto, formação acadêmica em sociologia, não consegue entender esse movimento social, pois está tomado pelo poder e o brilho que o dinheiro faz, ao embaçar mentes e corações. O senhor governador, Luiz Pezão se encontra enfermo, e seu vice Francisco Dorneles, não tem a menor ideia de como lidar com uma situação tão inovadora que põe em cheque  toda sorte de descaso com os filhos da classe trabalhadora.
Eu, enquanto professora de História da rede estadual de educação há 19 anos, com vasto currículo em greves, nunca vivi um momento tão especial como esse. Espero que o nosso sindicato, e que toda a nossa categoria, compre a luta junto a esses meninos e meninas guerreiros, que sabem o que querem, e não querem ser tratados como cidadãos de segunda categoria. São em sua maioria negra, moradores de comunidades, filhos de pedreiros e costureiras, desempregados e subempregados, comerciantes, zeladores, porteiros e empregadas domesticas, que brilhantemente lutam pela educação de qualidade, não só para o branco zona sul, para todos os jovens do estado do Rio de Janeiro.
Avante alunos, vocês me dão uma força enorme para continuar na luta...
E vamos OCUPAR TUDO!


Ocupa Euclides

Ocupa Gloria
















Por:Denise Oliveira/abril de 2016





sábado, 14 de novembro de 2015

Aos Felizes, e sua vã felicidade


Há muito não tenho conseguido escrever, não sei se por falta de inspiração, ou por estar abarrotada de indignação e decepção com as pessoas. Mas, ontem o dia foi tão pesado que se eu não escrever  sufocarei.
Desde 2013 vemos no Brasil ataques frontais a toda forma de luta, seja pela moradia, pelo transporte, pela educação, pela dignidade em geral. O ano de 2014 e sua Copa da Fifa, repleta de corrupção e desespero para quem dela não foi convidado, levou a prisão de 23 ativistas, que não possuem contas na Suíça, que não estão envolvidos no petrolão, mensalão e metrosão, mas que se encontram hoje com uma enorme guilhotina sobre suas cabeças, e com um  “militância” se lixando pra eles, afinal, não é comigo, não tenho nada a ver com isso, vou é ser feliz e postar nas redes sociais toda a minha “felicidade”.
Concomitante aos processos fraudulentos, temos a prisão do Rafael Braga, já entrando quase no seu terceiro ano, e do Tom, um morador de ocupação acusado injustamente de um assalto, só por que o juiz salafrento( o mesmo do processo dos 23) tem  ódio do advogado da FIST(Frente Internacionalista dos Sem Teto), e isso custará, no silêncio dos “felizes” 11 anos da vida desse ser humano, negro/pobre...Mas quem liga pra preto-pobre né não?? O maneiro é postar o quanto sou feliz, e como minha vida é legal!
Em São Paulo, o governo do PSDB, que ainda tem quem jure que é pior do que o PT, pretende privatizar a educação a todo custo, fechando 100 escolas, e uma garotada, que essa nossa “militância” tem horror, pois negam o controle vertical, dos que sonham com grandes lideres, e botam pra ferver, mostrando que líderes só servem pra atrapalhar a luta, que o barato é auto gestão, aonde todos botam a cara na luta, e não é de cima pra baixo, que uma “ameba iluminada” dá as cartas, mas jamais leva a borrachada da PM.
Em MG, na cidade de Mariana, a Vale do Rio Doce, acabou com o Doce do Rio, e a Vale, que não Vale NADA, a ela nada acontecerá, mas aos mortos pela tragédia negligenciada, o silêncio das “amebas iluminadas” sempre se fará presente. E todas as outras cidades e estados que precisavam do rio serão calados...Mas, a culpa do tal São Pedro que não faz chover, e com isso pagamos muito pela água que eles matam.
De novo em SP, Bahia e agora o Ceará, sem contar com o RJ, a PM, mata, e mata e mata..e justiça lhe imprime o direito de matar pretos/pobres e a licença pra matar, bater, prender, esculachar estará sempre presente...E as favelas, ops, comunidades guiadas pela UPPs falidas desse RJ, desgovernado tem todo o direito de ceifar vidas, sejam de 10,11, 12, 15, 17 anos, afinal eu prefiro acreditar que são todos bandidos, e sigo assim, na minha linda e festiva vida feliz!
Se locomover nessa cidade Paspalheana? Impossível! O Paspalho prefeito, alem de supri muitas linhas de ônibus e encurtar tantas outras, ainda tem o aval da PM maldita, pra prender a meninada negra, que nasceu numa cidade litoral, a ir à praia na sua própria cidade...e sigamos felizes nas nossas vidas estúpidas, postando como somos felizes no cheque especial!
No Mato Grosso, Pará, Amapá e Amazônia se mata os povos originários e os sem terra a baldes, seja pq os latifundiários querem, e o governo PT, “muito melhor” que o do PSDB, também quer, seja para impor uma hidrelétrica que causará mais desastre ambiental e social, do que a Vale Nada promoveu em MG,  porque esse tão “governo social” está enroscado com o capitalismo até a alma, se é que ainda tem alma!
Mas, uma tragédia abonável sim, que ocorreu lá do outro lado do Oceano Atlântico, no Hemisfério Norte, hemisfério esse que sempre provocou a ira de outros continentes, que por ganância escravizaram, criaram guerras civis intermináveis na África, mas na África só tem preto, e ele nem são considerados seres humanos, né Igreja Católica? Tem que virar convulsão mundial!
É, andava muito sem vontade de escrever, mas diante de tanta cretinice, tanta babaquice, tanta falta de que fazer, me veio essa vontade enorme de dizer... Não estou cansada, estou exausta...mas ainda não tive tempo de exaurir totalmente, pois ainda há muita luta pra lutar, e não é se portando como um babaca alienado, só pensando na minha vidinha medíocre, no melhor ângulo da foto, na linda mesa de almoço de domingo, no quanto fofinho meu bebe é, e quantas gracinhas ele faz, que estarei garantindo a ele( e eu nem tenho filho), um futuro melhor nesse caos de capitalismo.
Não é postando o quanto feliz sou, que serei feliz!


sexta-feira, 17 de abril de 2015

domingo, 8 de março de 2015

Dia Internacional da Mulher: Mulher bonita, mulher de luta!






Há muito não escrevia ando sem inspiração, mas hoje resolvi escrever algo curto, apenas uma reflexão sobre o que mais anda me incomodando em tudo.
Todas as datas de luta, foram sendo absorvidas pelo capitalismo, e assim como o Primeiro de maio, o  Oito de Março passou apenas a ser um dia de parabéns. Parabéns a quem, parabéns por que?
No dia 08/03/1857, uma manifestação e greve de ocupação das operárias de uma fábrica têxtil de Nova Iorque, foi finalizada com o incêndio que culminou na morte das “rebeldes”.  Pouca gente sabe a origem desse dia. O capitalismo esvaziou a data, resumindo-a  a parabéns, flores e chocolates...Pior que isso, a grande maioria das mulheres também não sabem, e nem se interessam em saber a origem do dia, e por que existe.
Dia 08 de março, não é dia de flores e nem de parabéns, não preciso ser parabenizada por ser mulher, preciso ser respeitada como ser humano, ter o direito as minhas escolhas, ao meu próprio corpo, a minha própria vontade. Não sou da linha feminista radical, não fico repetindo o eterno discurso da “sociedade patriarcal” e nem quero me empodeirar de nada, só quero ser dona do meu caminho. Quero ter o direito de fazer aborto, se isso me convier num determinado momento, aborto seguro, assegurando o meu direito de continuar viva e parir quando quiser e  puder.Quero o direito a um emprego digno, com salário digno. Quero o direito de andar na rua, sem ser importunada por homens, que só pq foram com a minha cara, acham que podem me tocar. Quero o direito de lutar ao lado dos homens, não atrás deles. Quero não ser vista como fraca, pois não o sou, sou forte o suficiente para tomar conta de mim, do meu caminho. Não preciso que me indiquem o caminho, se por acaso seguir o pior caminho, que seja minha escolha, não do outro, que só por que se aliançou pensa que pode traçar a minha rota.
Dia Internacional da mulher só existe ainda, por as desigualdades entre os gêneros persiste, e ao invés de vir com flores, que a sociedade venha com propostas claras, com reconhecimento verdadeiro. Que a indústria e os padrões de beleza nos deixem livres para ser mos gordas, magras, altas, baixas, jovens ou não jovens em paz.
Mulherada temos o poder de nos solidarizar mos, temos o poder de não permitir imposições sociais, temos o dever de brigar pela nossa vida, nosso caminho.
Não queremos flores, queremos respeito!

















segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O Sanhaço, a Jaguatirica e a Arapuca.



A coisa aconteceu mais ou menos assim.
O sanhaço desceu até a beira do rio Chipió para beber água. Aí, ele viu aquela coisa muito estranha... Não era bicho, nem planta e também não era pedra ou tronco velho caído, apodrecendo no meio do caminho. Tratava-se de algo que ainda não se tinha visto por aquelas bandas. 
Parecia a toca de algum bicho, ou o ninho de algum passarinho bem grande, mas tinha folha por cima como se fosse o chão do mato. Além disso, ele estava com fome e lá dentro tinha sementes de sei lá o quê...
A curiosidade dava para matar, porém algo dizia escondido dentro da sua cabeça: "- Não entra... Você não vai gostar."
Ele rodeou, rodeou, olhou , bicou dos lados, subiu em cima. Não acontecia nada. Tudo estava na mais perfeita paz... Dava para confiar: aquilo que estava ali era aquilo mesmo e não costumava ser diferente, portanto, enquanto houvesse luz no céu, (por que de noite as coisas mudam...), só iria acontecer o que já tinha acontecido em algum lugar e ali se repetia.
A confiança vem sempre acompanhada da ousadia e o receio cuidadoso de antes foi trocado por uma displicência abusada. Ele subiu outra vez por cima daquele trem, bicou seus ramos de novo, meteu meia cabeça pra dentro, entrou e saiu daquela toca, se protegeu nela da chuva, que caiu perto do meio-dia, usou e abusou do direito de não prestar atenção nos perigos que o rodeava e até tirou onda dormitando mais para dentro do que para fora daquele troço. Dava para confiar, aquele negócio não iria lhe fazer mal, pois não passava de uma toca abandonada.
Foi aí, na hora da confiança despropositada, que apareceu não se sabe da onde uma jaguatirica braba, que veio cheia de fome para cima do sanhaço. O passarinho estava tão desprevenido e ficou tão assustado, que esqueceu que sabia voar e espavorido correu para dentro daquele negócio que, de repente, fechou-se em cima dele fazendo um barulhão tão grande que espantou até a jaguatirica.
Hoje em dia o sanhaço canta numa gaiola e pertence a um menino que, na maior parte das vezes, lhe trata com muito carinho e nunca deixa faltar sementes e água. Jamais pensa que poderia ter voado, ao invés de cair na arapuca, e é muito agradecido ao moleque que o salvou da jaguatirica.


Por: Carlos Ditzz, outubro de 2014









domingo, 26 de outubro de 2014

Eleições 2014: a farra da farsa eleitoral




Vamos fazer uma análise real do que foi o processo eleitoral de 2014, sem mentirmos para nós mesmos, sem procurarmos desculpas esfarrapadas, e principalmente sem colocar a culpa, apenas da falta de clareza política da maioria da população brasileira?
Pois bem, o desenho desse processo eleitoral, iniciou no ano passado, no que se passou a denominar Jornadas de Junho/Julho-2013. Ali, a população mostrava-se ansiosa por mudanças, indignada com os gastos na preparação da Copa do Mundo, da falta de respostas as suas principais demandas como saúde e educação. A essa população, foi dado sim, repressão. Pela primeira vez, as grandes massas populares, que até então viam bomba de lacrimogêneo  sendo atirada trabalhadores grevistas(aqueles que atrapalham o bom encaminhamento das coisas), ou a truculência policial apenas nas favelas(local de bandido), puderam sentir nos seus próprios olhos, como as demandas sociais são tratadas há séculos pelo “donos do poder”.
Eram manifestações coxinhas, sim..a grande maioria que ocuparam as ruas do Brasil inteiro, não eram militantes de partido algum, eram pessoas, simples mortais, cobrando do governo tido, ou dito dos trabalhadores, uma resposta para todas as suas demandas.
A mídia corporativo-burguesa fez o seu trabalhinho sujo, criminalizando todas as manifestações. A esquerda, se percebendo fora do controle desse movimento, já que a palavra chave, foi SEM PARTIDO, tratou logo de juntar-se a  mídia e ao governo, para atacar, os blacks blocks e todo movimento anarquista, que mais do que presente, esteve na linha de fogo o tempo todo.Neste aspecto, as esquerdas falharam feio, não citarei denominações partidárias, porque se faz desnecessário.
Dentro dessa dicotomia, entre anseios populares, governos e partidos ditos de esquerda, a extrema direita, reacionária, encontrou seu espaço. Estamos falando de uma população pouco politizada, que quer mudanças, que precisa se ver representada, que acredita no voto como fonte dessa representatividade, e foi aí, que os partidos de esquerda...TODOS ELES, a meu ver, deram um mole enorme.... É claro, que a intenção era mesmo calar a população.
Em fevereiro de 2014, o RJ, ainda se rebelava. Aconteceu o triste incidente com o Jornalista/Cinegrafista da Rede Bandeirantes. Não ouvi da mídia, em nenhum momento, crítica a rede de televisão que não capacitou com segurança seu trabalhador, e também pouco vi da esquerda pressão para que a Bandeirantes, fosse minimamente culpabilizada por colocar um trabalhador sem  equipamentos de segurança, para cobrir um ato contra o aumento das passagens. Não vi, em momento algum, a esquerda questionar a força demasiada da polícia, com suas bombas de lacrimogêneo, sobre os manifestantes. Mas , vi a esquerda apontando o dedo para os black blocks e todo movimento anarquista, ajudando a criminalizar mais ainda os anseios populares. Vi, o deputado, dito como o mais progressista de todos, assinando a CPI sobre os black blocs, que culminou, nesse ano, na perseguição e prisão de  manifestantes, inclusive dos meus amigos e colegas de trabalho, Pedro, Filipe e Rebeca, entre outros 26 manifestantes, e inúmeras invasão à privacidade de todos que estivemos nas ruas, exigindo transformações sociais.
Então veio a Copa, e todos foram torcer pro Brasil e ver jogos.Nós, os chatos de plantão, continuamos a gritar “não vai ter copa”, o que na verdade acabou não tendo mesmo, já que para garantir os jogos, o poder teve que montar um esquema surreal de proteção aos estágios...Ora bolas, no país do futebol, o lacrimogêneo ser a moeda de maior valor para que a paixão nacional fosse enfim vivida, por uma elite branca e estrangeiros...e o povo ficou de fora de novo.
A Copa acabou, o Brasil perdeu de 7 a 1 e a inflação chegou a galope. E cadê as ditas mudanças tão esperadas pelo povo? Veio na forma de campanha na manutenção da farsa eleitoral, que mantêm a farsa democrática. No leque, os piores candidatos na bandeja de opções. Propostas, planos de governo, nenhum...baixaria, e baixaria...os desejosos pelo poder, fingindo serem inimigos uns dos outros...e a direitona ultra reacionária, conservadora e podre acenou com essa tal mudança. Ué, se é pra mudar, num cenário aonde todos são iguais, então mudamos as caras dos candidatos. Foi aí que deu um nó na cabeça da esquerda. Jair Bolsonaro, o rei da cretinice, o mais votado para deputado estadual no RJ, o racista do Luiz Carlos Heinze, o mais votado como deputado federal , no RS. Tiririca, o segundo mais votado em SP. Aliás SP, ainda manteve sem questionar o governador Alkimin, mas conhecido com Picolé de Chuchu e o rei das bicas secas.
E lá vem a esquerda esquizofrênica, dar chiliquito...”como pode???”
Pode, sim...pode porque essa esquerda caviar, não quer nada de luta, não quer nada de mudança, não quer nada que a aborreça...Ficar encastelados em gabinetes, sindicatos burocráticos, universidades conservadoras, barzinhos de classe média é bem mais agradável que encarar e abraçar a verdadeira classe trabalhadora. Que horas as bandeiras vermelhas flamularam e vieram pra rua, junto com o povo trabalhador? Em que horas vimos ditas bandeiras vermelhas nas  desocupações das favelas Metro Mangueira (janeiro de 14), ou Oi Telemar(abril de 14)? Nos atos contra a Copa, durante a Copa? Ao lado dos trabalhadores que ousaram fazer greves na Copa?Eu vi sim, a esquerda correr da polícia, mesmo sem ter havido uma bomba de lacrimogêneo sequer, no Grito dos Excluídos de 2014.Isso eu vi!
 Pois é esquerda esquisita, agora agüenta...e não venha colocar a culpa na despolitização do povo não, porque, a vocês, é também muito agradável, que essa massa despolitizada se mantenha assim, afinal, vocês não querem revolução coisa nenhuma...No máximo um gabinete com ar condicionado, ou um sindicato pra mamar nas tetas.
O povo respondeu, da mesma maneira do que no não vai ter copa. Também não teve voto..e nesse ponto a massa fez bonito...o governador eleito em primeiro turno foi o voto branco/nulo. É, vocês ficaram com uma batata quente na mão, apóia  a política neoliberal rosa-bebê do PT, ou parte pro voto nulo??? A maioria, que tanto fez para abafar as lutas dos trabalhadores, na ânsia de partir pra campanha eleitoral, veio agora, na maior cara de pau declarar voto nulo. Esquerda cretina, ninguém mais acredita em você.
A massa que foi pra rua em 2013, deu ser recado. Pezão 4.332.623 votos;Boycote(nulos, brancos e abstenções) 4.335.328... e no governo federal.
Na esfera federal, a Dilma levou, no sufoco, mas levou. Resultado ainda parcial: Dilma 54.447.455 e Aécio 51011.272.. Boyocote 30.098.004.
O povo mostrou que podem até não ser o supra sumo da consciência política, mas essa esquerda que nos freia, levou uma lambada das mais gostosas vista, por até hoje... E que venha a rua, afinal “ O lacrimogêneo é o meu pastor, a falta de ar não me faltará”!

Por: Denise Oliveira/ outubro de 2014